Assembleia de Deus Ministério Belém
RUA FLAMINGO 239 PORTAL LARANJEIRAS CAIEIRAS – SP

CULTOS:

Terças e Quintas feiras ás 19:30

Domingo 18:00

Pastor Responsável : Adalberto Alves Pereira


Páginas

Escola Dominical – 4º Trimestre de 2014




 

PRÓXIMA REVISTA, DAS LIÇÕES BÍBLICAS, DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL, DA EDITORA CPAD. 

4º TRIMESTRE DE 2014.

A INTEGRIDADE MORAL E ESPIRITUAL: O legado do Livro de Daniel para a Igreja hoje.

COMENTÁRIO: ELIENAI CABRAL

Lição 1 - Daniel, Nosso "Contemporâneo" 
Lição 2 - A Firmeza do Caráter Moral e Espiritual de Daniel 
Lição 3 - O Deus que Intervém na História 
Lição 4 - A Providência Divina na Fidelidade Humana 
Lição 5 - Deus Abomina a Soberba 
Lição 6 - A Queda do Império Babilônico 
Lição 7 - Integridade em Tempos de Crise 
Lição 8 - Os Impérios Mundiais e o Reino do Messias 
Lição 9 - O Prenúncio do Tempo do Fim 
Lição 10 - As Setenta Semanas
Lição 11 - O Homem Vestido de Linho 
Lição 12 - Um Tipo do Futuro Anticristo 
Lição 13 - O Tempo da Profecia de Daniel

Vontade de Deus




















“Não havendo sábia direção, cai o povo, mas na multidão de conselheiros há segurança.” (Pv 11:14 RA).
“Procure bons conselhos e você terá sucesso; não entre na batalha sem antes fazer planos.” (Pv 20:18 NTLH).
“Porque com conselhos prudentes tu farás a guerra; e há vitória na multidão dos conselheiros.” (Pv 24:6 RC).
Confesso que, os versículos acima me deixavam incomodado. Até que, um dia, cheguei diante de Deus e questionei: “Senhor, tua Palavra afirma que na multidão de conselheiros há segurança, há vitória, há sucesso. Mas, no meu modo de entender, na multidão de conselheiros há confusão. Com muitos conselhos, eu fico confuso e, na maioria das vezes, não sei qual o melhor caminho a seguir”. Deus tem muitas maneiras de falar conosco. Às vezes, Ele usa as situações do cotidiano “do dia a dia”, para nos dar o entendimento da sua Palavra. Quantas escolhas um empresário tem de fazer por dia? Qual o percentual de acertos de suas escolhas? A quem ele pede conselhos? Infelizmente, fazemos parte de uma geração que, em sua grande maioria, não valoriza os conselhos e não assume os próprios erros. Mas por que não pedimos conselhos?

1. Não pedimos conselhos porque o nosso “orgulho” não nos deixa reconhecer publicamente nossas limitações. Nossa cultura vê a busca de conselhos como um sinal de fraqueza.

2. Não pedimos conselhos por causa da nossa “teimosia”. “Já tomei minha decisão, e não volto atrás.” 

3. Não pedimos conselhos porque não acreditamos ter amigos de verdade, “conselheiros confiáveis”.

4. Não acreditamos, de fato, que “Deus nos ama” e que as instruções contidas em sua Palavra constituem “o melhor” conselho para nossas vidas.

Entretanto, seja qual for o motivo para não pedirmos conselhos, a consequência de não fazê-lo é inevitável.
“Vocês não deram valor aos Meus conselhos e acharam que Minha repreensão era inútil. Por isso, vocês comerão os frutos amargos de sua desobediência. Já que seus planos foram semear ventos, vocês colherão tempestades.” (Pv 1: 30,31 - BV).
O aprendizado pode ser uma experiência dolorosa ou gratificante. Você aprende com o sofrimento... aprende com as perdas... aprende observando o que aconteceu na vida de outras pessoas... aprende com seus conselheiros... aprende com Deus, “com as instruções das Escrituras”.

A quem devemos pedir conselhos? Ao nosso cônjuge, aos nossos pais, a nossa liderança... e principalmente a Deus.

De quem devemos evitar o conselho? Do ímpio. “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios...”.

Mesmo pedindo conselhos a outros, não estamos isentos de errar, pois a escolha é uma decisão individual de cada pessoa.

Moisés estava com o povo no meio do deserto e recebeu a visita de seu sogro. O velho e experiente Jetro viu a maneira como Moisés cuidava das questões do povo, como administrava tudo, e ao ver isso, se espantou. Moisés tinha uma administração tão centralizada que fazia com que ele trabalhasse demais! Jetro chamou então Moisés de lado e disse: “Não é bom o que fazes, logo desfalecerás, ouça a minha voz, e eu te aconselharei” Êxodo 18:17. Moisés então ouviu o conselho do experiente Jetro e colocou lideres entre o povo, chefes de mil, de cem, de dez, e a partir daí as coisas foram muito melhores. Através de Moisés vemos que Deus pode usar pessoas próximas de nós para nos orientar.

2 Crônicas 26:5. Outro exemplo e o rei Uzias enquanto deu ouvido aos conselhos do seu líder Deus o fez prosperar.

Assembleia de Deus em São Paulo - Ministério do Belém - Confira nossa Programação e Participe !

Ressuscitando os sonhos perdidos

JOÃO 20.1-8

Sonhamos com uma vida melhor; sonhamos constituir uma família; sonhamos adquirir uma profissão, ter um emprego; sonhamos comprar a casa própria, encontrar o amor da vida, sonhos ministeriais, sonhos para a nossa igreja, etc. Quem frequenta igreja evangélica tem uma grande chance de virar um sonhador.
Lendo a Bíblia e a história dos heróis da fé, descobrimos que pessoas comuns podem fazer coisas extraordinárias. Eu aprendi a sonhar muito cedo. Mesmo com muitas limitações familiares, sociais e econômicas eu acreditei de todo o meu coração que a minha vida podia ser empolgante, relevante, maravilhosa. Acredito que eu avancei um pouco na vida porque aprendi muito cedo a sonhar. Mas há algo perigoso sobre sonhos: eles podem morrer. E quando os sonhos morrem, no lugar deles fica um vazio imenso e uma dor que parece não ter fim.


VOCÊ JÁ TEVE SONHOS QUE MORRERAM? 
Um casamento que não deu certo? 
Um filho que traz amargura para a sua alma? 
Uma carreira que você não conseguiu trilhar? 
Uma viagem que você nunca conseguiu fazer? 
A casa que até hoje você nunca conseguiu comprar? 
Um ministério que você nunca conseguiu cumprir? 
O nascimento de um filho? 
Todos os que sonham já tiveram sonhos que morreram. 

POR QUE OS SONHOS MORREM?
1 - Alguns sonhos morrem por nossa causa. 
Porque cometemos pecados; 
Porque temos medo. 
Porque não aproveitamos as oportunidades; 
Porque temos preguiça; 
Porque não queremos pagar o preço. 
2 - Alguns sonhos morrem por causa das outras pessoas. 
Um cônjuge difícil; 
Um sócio que traiu; 
Um líder imaturo. 
3 - Alguns sonhos morrem por causa das circunstâncias. 
Doenças; 
Acidentes; 
Tragédias. 
4 - Alguns sonhos morrem por causa de forças espirituais. 
O Diabo e os demônios são especialistas em matar sonhos; 
Para o nosso próprio bem, Deus também poda sonhos. 

Sim, muitos sonhos morrem. E é doloroso conviver com isso. Mas existe uma boa notícia = EVANGELHO - Os sonhos podem ressuscitar.

DEUS TEM UM SONHO PARA OS QUE PERDERAM O SONHO. Pensem nos apóstolos. Durante três anos eles viveram um sonho, uma visão. O sonho de verem suas vidas livres do domínio cruel dos romanos. Sonharam com o Reino de Deus na terra e eles seriam os ministros. Sonharam com a presença de Jesus com eles por anos curando enfermos, multiplicando os pães, acalmar a tempestade, etc. Mas aí Jesus foi preso, humilhado, torturado e morto como se fosse o pior dos bandidos. Pareceu que o sonho acabou. O sonho morreu com o Mestre. Mas eles estavam errados. O sonho não tinha acabado, pois eram sonhos de Deus para a vida deles.  Na verdade o sonho estava apenas começando. Os sonhos de Deus para os discípulos ressuscitaram juntamente com Jesus e depois disso tudo ficou ainda melhor. Deus tem sonhos, tem uma visão para cada um de nós. Sonhos especiais e específicos. Deus te conhece pelo nome. Ele quer que cada um de nós viva os sonhos que Ele planejou. Hoje, através da história da ressurreição de Jesus, vamos aprender como renovar os sonhos de Deus para as nossas vidas. COMO RENOVAR OS SONHOS DE DEUS?

SAIA DA SUA ZONA DE CONFORTO. (v.1, 3). É preciso desejar de todo coração. É preciso sair da zona de conforto. É preciso interesse. É preciso buscar de todo coração. Pessoas acomodadas nunca vivem os sonhos de Deus porque não se dispõem a buscar diligentemente. Precisamos pagar o preço.

ABANDONE A VISÃO HUMANA (v.1,4-5). Nos dois textos é usado o verbo grego βλέπω = BLÉPO = um olhar superficial. Nossa visão humana consiste em nossos próprios sonhos, planos, desejos, cobiças, interesses, desejo de agradar a outras pessoas ou organizações, etc. Infelizmente a maioria dos cristãos permanece aqui. Muitos servem a Deus com intensidade e sinceridade, mas agem dentro de uma visão humana e por isso os seus frutos são escassos.

APROXIME-SE DE JESUS (v.6-7). Nesta hora é usado o verbo grego τηρέω = TERÉO = contemplar – um olhar um pouco mais atento. Observe que Pedro conseguiu enxergar o lenço porque resolveu entrar no sepulcro. Para conhecer os sonhos de Deus é preciso “entrar” no plano espiritual. A conexão com Deus vem de um período de intensa oração, jejum, estudo, meditação e até retiro espiritual. A conexão (união) com Deus acontece em um processo de santificação e contato com Ele.

VENÇA O MEDO (v.8). João toma coragem e entra no sepulcro. Viver os sonhos de Deus envolve riscos e lutas. Deus vai testá-lo para dar um passo de fé. Nesta hora o medo pode paralisar você e impedi-lo de viver plenamente a visão de Deus. Nesta hora é muito comum olhar para trás. Olhe para frente e vá ao encontro dos sonhos de Deus.

TENHA FÉ (v.8). Aqui é usado o verbo grego όράω = ORÁO = compreender – uma visão com fé. A visão de Deus se processa no plano espiritual. Não há garantias humanas. Somente pela fé podemos enxergar a vitória do plano de Deus (visão) em um túmulo vazio. Neste mundo tão materialista, somente pela fé você vai enxergar os abundantes frutos espirituais que Deus reservou para você. Todas as realizações humanas eram sonhos antes de se transformarem em realidade (casamentos, filhos, casa, emprego, escolas, hospitais, indústrias, igrejas, etc.).

OS SONHOS PODEM MORRER MAS OS SONHOS PODEM RESSURGIR. A ressurreição de Jesus foi para os apóstolos a ressurreição dos sonhos de Deus para eles. Depois disso a igreja começou e alcançou o mundo inteiro. Aprendemos com a Bíblia que alguns passos são necessários para renovar os sonhos de Deus:
É preciso buscar estes sonhos;
É preciso despojar-se da visão humana;
É preciso aproximar-se de Deus;
É preciso vencer o medo;
É preciso exercitar a fé;

VOLTE A SONHAR 
Você ainda tem sonhos?
Sonhos para sua família?
Sonhos profissionais?
Tem sonhos ministeriais?
Tem sonhos para a igreja?
Ainda acredita em milagres?
Tem experimentado o melhor de Deus para a sua vida?
Não deixe os seus sonhos morrerem.
Não deixe o sonho ficar no túmulo.
Que Deus renove a sua visão e os seus sonhos.

"O que é a armadura de Deus?"

 


A frase “toda a armadura de Deus” vem da passagem do Novo Testamento: “Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus” (Efésios 6:13-17).

Efésios 6:12 indica claramente que o conflito com Satanás é espiritual e, portanto, nenhum arma física pode ser usada efetivamente contra ele e seus demônios. Não temos uma lista de táticas específicas que ele vai usar. No entanto, a passagem é bem clara ao dizer que quando seguimos todas as instruções fielmente, vamos poder resistir ao poder do mal e ter vitória, qualquer que seja a sua ofensa.

A primeira parte de nossa armadura é a verdade (versículo 14). Isso é fácil de entender, já que Satanás é o "pai da mentira" (João 8:44). Decepção é uma das primeiras coisas que Deus considera ser uma abominação. Uma "língua mentirosa" é uma das coisas que “o SENHOR aborrece” (Provérbios 6:16-17). Ele diz claramente que nenhum mentiroso vai entrar no céu (Apocalipse 22:14-15). Somos então exortados a usar a verdade para a nossa própria santificação e libertação e para o bem daqueles a quem somos testemunhas.

No versículo 14 somos encorajados a nos vestir com a couraça da justiça. Uma couraça iria proteger um guerreiro contra um golpe fatal ao coração ou outros órgãos importantes. Essa justiça não é obras de justiça feitas pelos homens – apesar de que elas seriam barreiras de proteção quando usadas contra acusações e censuras do inimigo. Ao invés disso, essa é a justiça de Cristo, imputada por Deus e recebida pela fé, a qual guarda os nossos corações contra as acusações de Satanás e protege o nosso ser interior contra seus ataques.

Versículo 15 fala da preparação dos pés para o conflito espiritual. O soldado moderno, assim como o guerreiro da antiguidade, precisa prestar bastante atenção aos seus pés. Às vezes o inimigo da antiguidade colocava obstáculos perigosos no caminho dos soldados que estavam avançando. Isso é bem parecido com os campos minados de hoje. Doenças também podem danificar os pés de um soldado que não tem seus pés protegidos. A idéia de ter o evangelho da paz como calçado sugere o que precisamos para poder avançar no território de Satanás; precisamos da mensagem da graça, a qual é tão essencial para ganhar almas para Cristo. Satanás tem colocado muitos obstáculos no caminho da propagação do evangelho.

O escudo da fé, ao qual o versículo 16 se refere, torna ineficaz o ataque de Satanás de plantar dúvidas em relação à fidelidade de Deus e Sua Palavra. Nossa fé – da qual Cristo é o autor e consumador (Hebreus 12:2) – é como um escudo de ouro, precioso, sólido e importante. Esse escudo é como um escudo de guerreiros fortes, pelo qual coisas importantes são alcançadas, e pelo qual um crente não só repele, mas também conquista o inimigo.

O capacete da salvação do versículo 17 protege a cabeça e serve para proteger uma parte do corpo que é tão importante. Podemos dizer que o jeito que pensamos precisa de preservação. A cabeça de um soldado era uma das partes principais a serem defendidas, pois ela podia sofrer um dos ataques mais mortais, e é a cabeça que comanda todo o corpo. A cabeça é o centro da nossa mente, e quando ela possui a “esperança” certa do Evangelho de vida eterna, não vai receber doutrina falsa, ou deixar-se influenciar pelas tentações de Satanás de desespero. Uma pessoa não salva não tem nenhuma esperança de se proteger dos ataques de falsa doutrina porque sua mente é incapaz de discernir entre verdade e mentira.

Versículo 17 interpreta a si mesmo em relação ao que quer dizer com a espada do Espírito. Enquanto o resto da armadura é em sua natureza armas de defesa, aqui se encontra a única arma de ataque na armadura de Deus. Ela se refere à santidade e poder da Palavra de Deus. Uma arma espiritual maior não existe. Nas tentações de Jesus no deserto, a Palavra de Deus sempre predominou em suas respostas a Satanás. Que benção saber que a mesma Palavra também está disponível a nós!

Orar no Espírito (quer dizer, com a mente de Cristo, com Seu coração e Suas prioridades) como vemos no versículo 18 é o ponto auge do que está envolvido em nos preparar e utilizar todas as armas de Deus anteriormente mencionadas. É significante que essa passagem das Escrituras é tão fiel às prioridades de ministério destacadas por todas as epístolas de Paulo; ele acredita que oração é o elemento mais importante para a vitória e maturidade espirituais. Ele deseja ardentemente esse tipo de oração em sua vida também (versículos 19-20).

Feliz é nação cujo Deus é o Senhor, diz Dilma a evangélicos




Em busca do apoio de evangélicos, numa eleição que tem um pastor como candidato à Presidência, a presidente Dilma Rousseff disse em evento na igreja Assembleia de Deus nesta sexta-feira que, embora o Brasil seja um Estado laico, “feliz é a nação cujo Deus é o Senhor”.
Dilma disse que seu governo foi aquele que mais trabalhou pelo fortalecimento da família no país, e citou programas sociais de sua administração, como o Bolsa Família, o Minha Casa Minha Vida e o Pronatec.
“O Brasil é um Estado laico, mas, citando um salmo de Davi, eu queria dizer que feliz é a nação cujo Deus é o Senhor”, disse a presidente ao iniciar o seu discurso .
“Nós temos muito que fazer”, continuou Dilma, que busca a reeleição pelo PT. “A gente não muda tudo, não recupera o prejuízo em 10 ou 12 anos... Mas nós fomos capazes de mexer nas bases e construir um novo futuro.”
A presidente estava acompanhada pelo governador do Distrito Federal, o petista Agnelo Queioz, e por parlamentares, como o líder do PMDB na Câmara, deputado Eduardo Cunha (RJ), que também é líder evangélico e discursou antes dela.
Cunha, que na liderança do PMDB protagonizado vários atritos nas relações do Palácio do Planalto com o Congresso Nacional, fez questão de dizer que não falava como líder peemedebista, mas sim como evangélico.
O parlamentar disse que as igrejas evangélicas não dependem de dinheiro público e afirmou que os evangélicos querem apenas o direito de defender que a vida começa na concepção, referindo-se ao debate sobre o aborto, e de pregar que o homossexualismo é pecado “assim como está na Bíblia”.
Dilma não fez menção aos comentários de Cunha em seu discurso, preferindo enfatizar a importância de ações sociais realizadas por igrejas evangélicas, mas o parlamentar peemedebista aproveitou para agradecer à presidente pela revogação de uma portaria do Ministério da Saúde que, segundo ele, “legalizava o aborto ilegal”.
“No momento seguinte que essa portaria foi editada, eu procurei o ministro (da Saúde Arthur) Chioro, expus as nossas posições e o ministro, provavelmente consultando a senhora, em menos de 24 horas revogou a portaria”, disse Cunha.

100 Caped 2014








 
Um marco do aperfeiçoamento da Escola Dominical

Desde 1951, o projeto de criar uma fonte de subsídios que tornasse a Escola Dominical mais atraente e firme no seu propósito de expandir os ensinamentos de Jesus já existia na mente do pastor Antonio Gilberto. Observando o funcionamento da Escola Dominical nos Estados Unidos e na Europa, começou a fazer anotações que contribuíram, mais tarde, para a elaboração de um importante material que serviu de base para o lançamento do Manual de Escola Dominical, o livro-texto do Caped, aprovado em 1974 pelo Conselho Administrativo da CPAD, em sua primeira reunião do ano.

Este ano o evento terá a sua 100º edição, ocorrendo na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, entre os dias 03 e 06 de Setembro.
 
INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES
(21) 2406-7400 / 2406-7482

Câmara de Nova Odessa aprova leitura obrigatória da Bíblia nas escolas

O projeto levanta polêmica entre especialistas e entre a população da cidade

 
A Câmara municipal de Nova Odessa, interior de São Paulo, aprovou um projeto de lei que obriga a leitura da Bíblia nas escolas municipais.

A lei é de autoria do vereador Vladimir Antônio da Fonseca (SDD) que é evangélico. Na visão do parlamentar o projeto “não se contrapõe à ideia de Estado laico” e nem “desafia os valores consagrados na Constituição”.
“A intenção foi a melhor possível”, disse Fonseca. Mas a proposta de tornar obrigatória a leitura da Bíblia nas escolas tem gerado debate entre a população da cidade e entre especialista.
Para a professora da Faculdade de Direito da USP, Odete Medauar, o projeto é inconstitucional. “A escola pública é laica e não pode ter influência de religiões”, disse ela ao jornal Folha de São Paulo.
O administrador Mauro Facioli, 57, também é contra. “A religião não deveria entrar no currículo escolar”, disse ele ao jornal. Já o motorista Luiz Vidal, 63 anos, é a favor. “O povo só quer saber de coisa errada. Quem sabe estudando a Bíblia não melhora”.
Depois de ser aprovado pela Câmara o projeto passará pelo prefeito de Nova Odessa, Benjamim Bill Vieira de Souza (PSDB) que não vê a proposta como algo ruim, mas é contra a obrigatoriedade.
“O projeto não é ruim. É bom. A Bíblia é um dos livros mais lidos do mundo. Só a parte da obrigatoriedade é que acaba criando um transtorno”, disse ele. Souza deve pedir um parecer da Secretaria de Educação e também do setor jurídico para decidir se irá sancionar ou vetar a proposta. A ideia do tucano é melhorar o projeto antes torná-lo lei