Assembleia de Deus Ministério Belém
RUA FLAMINGO 239 PORTAL LARANJEIRAS CAIEIRAS – SP

CULTOS:

Terças e Quintas feiras ás 19:30

Domingo 18:00

Pastor Responsável : Renato Apolinario


Páginas

A águia e seus filhotes





Na vida há um momento em que é chegada a hora de deixar nossos ninhos e aprendermos a voar em busca de novos horizontes...

Boa leitura...

A Águia empurra gentilmente seus filhotes para a beirada do ninho.
Seu coração maternal se acelera com as emoções conflitantes, ao mesmo tempo em que ela sente a resistência dos filhotes aos seus persistentes cutucões: “Por que a emoção de voar tem que começar com o medo de cair?”, ela pensou.
Esta questão secular ainda não estava respondida para ela…
Como manda a tradição da espécie, o ninho estava localizado bem no alto de um pico rochoso, nas fendas protetoras de um dos lados dessa rocha.
Abaixo dele, somente o abismo e o ar para sustentar as asas dos filhotes. “E se justamente agora isto não funcionar?”, ela pensou.
Apesar do medo, a águia sabia que aquele era o momento. Sua missão maternal estava prestes a se completar.
Restava ainda uma tarefa final… O empurrão.
A águia tomou-se da coragem que vinha de sua sabedoria interior.
Enquanto os filhotes não descobrirem suas asas, não haverá propósito para sua vida.
Enquanto eles não aprenderem a voar, não compreenderão o privilégio que é nascer uma águia.
O empurrão era o maior presente que ela podia oferecer-lhes. Era seu supremo ato de amor.
E então, um a um, ela os precipitou para o abismo… E eles voaram!…
Já faz muito tempo que a mediocridade tenta fazer-nos obedecê-la! Já faz muito tempo que damos atenção aos que nos perguntam: “Por que ser diferente?”, ou que racionalizam: “Vamos fazer apenas o mínimo exigido”.
Já faz muito tempo que concordamos em dar menos do que o melhor de nós, e ficamos convencidos de que a qualidade, a integridade e a autenticidade são virtudes negociáveis.
Assim, cara águia companheira, levante voo! Quando houver terminado este voo, terá firmado um compromisso inédito com uma vida de excelência em tudo.
Estará tão encorajado que duvido que possa sentir-se satisfeito em viver nas adjacências da mediocridade outra vez.
E por que deveríamos satisfazer-se lá embaixo? Erga os olhos e mire tão alto que possa começar a fazer aquilo para que foi criado: Um voo sublime.
Há milênios a águia tem sido respeitada pela sua grandeza.
Existe algo inspirador na graça impressionante de seu voo, em sua magnífica envergadura, em suas garras poderosas.
Ela plaina sem qualquer esforço em altitudes, insensíveis aos ventos turbulentos que sopram como chicotadas por entre as fendas das montanhas.
As águias não voam em bandos e tampouco se conduzem irresponsavelmente.
Por serem fortes de coração e solitárias, representam qualidades que admiramos.
Certamente você está ciente do fato de o estilo de vida semelhante ao da águia não ser barato. Custa caro ser diferente, especialmente quando a maioria está satisfeita em misturar-se e permanecer como maioria.
Não há ímãs na terra mais poderosos, do que a pressão exercida pelos medíocres.
Embora todos nós tenhamos apenas uns poucos anos para viver neste pequeno planeta, são raras as pessoas que tomam a decisão de desprezar a “Média” e lutar contra a atração forte dos ímãs medíocres.
Enfrente o fato, a tarefa é dura! é como diz o velho provérbio “É duro alçar voo altaneiro, sublime, quando estamos rodeados de tantas pessoas com medo de alçar voo!”…

Deus nos convida a vencer os desafios




“A alegria do Senhor é nossa força” (Neemias 8,10). 

 A palavra “força”, no dicionário, tem diferentes significados, e a partir deles podemos refletir sobre como a alegria nos fortalece. Força é aquilo que faz mover algo ou alguém, um impulso, algo que tem poder, que se impõe; um agente físico que pode alterar o estado de repouso ou de movimento uniforme de um corpo. A alegria de sermos filhos de Deus nos impulsiona e nos tira do lugar, muda-nos de rumo, incita-nos a ser melhores. É impossível que alguém tenha uma experiência pessoal com Jesus e queira continuar levando uma vida morna. Ao contrário, reconhecer-se amado por Deus tira-nos do comodismo e passamos a fazer a diferença no mundo, a começar pela alegria.
Força é também a capacidade de impressionar, de causar impacto numa obra artística, é um vigor. A alegria de sermos filhos de Deus transparece aos que estão conosco, ao nosso redor, impressiona, incomoda e contagia. Se alguém já lhe disse alguma vez: “Nossa, você parece não ter tristeza”, “Nossa, você é feliz assim todo dia?” eu mesmo “Conte-me o que você toma para ser feliz assim”. Essas reações podem ser sinal de que você entendeu que a alegria do Senhor é nossa força. E não se trata de ser falsa, esconder suas tristezas ou viver mascarando os problemas. Não! Viver a alegria do Senhor como nossa força é não se deixar abater pelos desafios cotidianos, viver de fé e acreditar que, mesmo em meio às dificuldades, algo bom acontecerá.
Todos os dias somos desafiados a ser melhores. Em casa, no trabalho, com os amigos, nos relacionamentos, nos estudos… Por onde passamos existe uma competitividade que nos ronda, independente da nossa vontade. Os desafios são muitos e não começam fora de nós, mas é uma luta inicialmente de nós com nós mesmos. Como cristãs, somos chamadas a ir ao encontro do outro, vencer o homem velho, quebrar as correntes que nos aprisionam e sermos melhor do que fomos ontem.

É duro, é difícil e exige força.
Outro significado da palavra  força  é “característica psicológica do que não se deixa abater nem dominar, e tem firmeza nas decisões”. Claro que temos muitas tristezas no dia a dia, mas viver a alegria do Senhor é crer que nada nem mal nenhum é maior do que a alegria de ser chamada filho de Deus. É decidir-se pela alegria, mesmo na dor.
Outra definição de força tem relação com a eletricidade, que move o nosso mundo atual, as tecnologias que levam, por exemplo, luz e modernidade aos diferentes rincões do mundo. A alegria do Senhor possibilita que sejamos a transformação da sociedade, luz para onde antes a vida era limitada, sem visão; é tornar acessível aos outros a riqueza dos ensinamentos de Jesus, pelo nosso testemunho de vida, muitas vezes, sem dizer palavra, apenas com um sorriso, um gesto alegre, um amor verdadeiro sem esperar recompensa.
Viver a alegria do Senhor como nossa força não significa que nunca haverá choro, tristeza ou dor. Os desapontamentos fazem parte da vida, mas eles não podem ser maiores do que a alegria. A tempestade nunca é eterna, e, mesmo em meio ao choro, é importante não perder de vista que a alegria do Senhor nos fortalece.

Nascer de Novo





Num artigo muito interessante, dizia mais ou menos o seguinte: 

Nós estamos acostumados a ligar a palavra morte apenas à ausência de vida e isso é um erro.
Existem outros tipos de morte e nós precisamos morrer todo dia.

A morte nada mais é do que uma passagem, uma transformação.
Não existe planta sem a morte da semente, não existe embrião sem a morte do óvulo e do esperma, não existe borboleta sem a morte da lagarta, isso é óbvio!
A morte nada mais é do que o ponto de partida para o início de algo novo. É a fronteira entre o passado e o futuro.

Se você quer ser um bom universitário, mate dentro de você o secundarista aéreo que acha que ainda tem muito tempo pela frente.
Quer ser um bom profissional? Então mate dentro de você o universitário descomprometido que acha que a vida se resume a estudar só o suficiente para fazer as provas.
Quer ter um bom relacionamento, então mate dentro de você o jovem inseguro ou ciumento, os amores mal resolvidos, ou o solteiro solto que pensa poder fazer planos sozinhos, sem ter que dividir espaços, projetos e tempo com mais ninguém.

Enfim, todo processo de evolução exige que matemos o nosso “eu” passado, inferior.
E, qual o risco de não agirmos assim? O risco está em tentarmos ser duas pessoas ao mesmo tempo, perdendo o nosso foco, comprometendo nossa produtividade e, por fim, prejudicando nosso sucesso.

Muitas pessoas não evoluem porque ficam se agarrando ao que eram, não se projetam para o que serão ou desejam ser. Elas querem a nova etapa, sem abrir mão da forma como pensavam ou como agiam.

Acabam se transformando em projetos acabados, híbridos, adultos “infantilizados”.
Podemos até agir, às vezes, como meninos, de tal forma que não matemos virtudes de criança que também são necessárias a nós, adultos, como: brincadeira, sorriso fácil, vitalidade, criatividade etc.

Mas, se quisermos ser adultos, devemos necessariamente matar pensamentos infantis, para passarmos a pensar como adultos. Quer ser alguém (líder, profissional, pai ou mãe, parceiro ou parceira, cidadão ou cidadã, amigo ou amiga) melhor e mais evoluído?
Então, o que você precisa matar em si ainda hoje para que nasça o ser que você tanto deseja ser?
Pense nisso e morra!
Mas, não se esqueça de nascer melhor.

Construção do Terceiro Templo avança em Israel




















Instituto do Templo anuncia novilha vermelha e que sabe está a Arca da Aliança

O Instituto do Templo tem mostrado com regularidade os avanços na preparação para o restabelecimento dos cultos no Templo, segundo o modelo do Antigo Testamento. Eles se dedicam a isso há 27 anos.
Depois de vários dias anunciando que fariam uma grande revelação, neste domingo (12) veio a notícia que depois de quase dois mil anos, Israel voltará a criar novilhas vermelhas, de acordo com o mandamento bíblico de Números 19.
Em parceria com um experiente criador de gado de Israel, cujo nome não foi revelado, o Instituto explica que os animais serão gerados em condições específicas e num ambiente controlado. Embora existam várias espécies de gado desse tipo sendo criados pelo mundo, até hoje não se encontrou um que se encaixe na descrição bíblica.
De acordo com o Israel National News, os embriões congelados da raça Red Angus foram levados para Israel e em breve devem ser fecundadas as primeiras matrizes.
A novilha precisa ser perfeita e com o pelo totalmente vermelho. Ela é fundamental para o trabalho dos sacerdotes do Templo na realização dos sacrifícios. Segundo o livro de Números, suas cinzas são usadas ​​para a purificação ritual.
Essa é a penúltima peça para a restauração plena do trabalho sacerdotal em Jerusalém.  A última será, sem dúvida, a Arca da Aliança.
Vários especialistas em profecias estão comentando o anúncio do Instituto do Templo. A opinião quase unânime é que daqui a três anos os animais estariam prontos para serem abatidos e usados no serviço do templo segundo os requisitos bíblicos (Gn 15:9).
Considerando que o Estado de Israel completará 70 anos em 2018, essa data é vista como o cumprimento de um tempo profético, pois marcaria o fim de uma geração. Ou seja, se tudo estiver pronto em três anos, Israel poderá retomar os sacrifícios rituais na mesma época em que se espera o fechamento de um ciclo profético.
Chama atenção o fato de o anúncio ser feito nas vésperas do período anual de três semanas, quando os judeus de todo o mundo lamentam a destruição do Templo de Salomão e do Segundo Templo (ou Templo de Herodes).

As preparações para o Terceiro Templo

O Instituto do Templo já anunciou que produziu mais de 70 objetos sagrados, com destaque para as vestes do sumo-sacerdote, incluindo o peitoral incrustado de pedras preciosas.
Somente o peitoral custou quase 500 mil reais. Há também trombetas de prata e harpas de madeira, bandejas para coletar o sangue dos sacrifícios, um incensário e a mesa onde fica o pão ritual. O candelabro (menorá) feito com 90 kg de ouro e pesando 1,5 tonelada está exibido ao público perto do muro das lamentações. Seu custo aproximado foi 3,2 milhões de reais.
Os 20 estudiosos do Talmude, que trabalham para o Instituto em tempo integral, elaboraram em detalhes todos os procedimentos seguindo as leis elaboradas cerca de 3.000 anos atrás. O Instituto afirma que já gastou mais de 30 milhões de dólares até o momento.
O líder e fundador do Instituto, rabino Chaim Richman, em outras ocasiões confirmou que sabe exatamente onde está a Arca, desaparecida desde a tomada de Jerusalém pelos babilônicos. Questionado novamente sobre o assunto, reiterou hoje que eles mantiveram uma tradição há séculos e afirma que ela estaria num túnel cavado no tempo de Salomão. Quando chegar a hora, irá mostra-la ao mundo.
No mês passado, ele anunciou que teria condições de financiar a construção do Terceiro Templo assim que o governo os autorizar. Uma campanha on-line já tem arrecadado dinheiro para isso desde o ano passado.
O único empecilho para isso é que o local hoje é ocupado por duas mesquitas muçulmanas, num local que embora esteja no centro de Jerusalém não está sequer sob o controle do governo israelense.
Para os judeus que estudam as profecias sobre o final dos tempos, a restauração dos sacrifícios rituais em Jerusalém é o início do processo de aparecimento do Messias esperado por eles.  Para a maioria dos cristãos que estudam escatologia, o surgimento do Anticristo depende da restauração do templo e dos sacrifícios, segundo a interpretação de Daniel 9:27.
Existe uma divisão de opiniões sobre o Terceiro Templo. Uma corrente teológica defende que ele só será construído durante a Grande Tribulação. Outros acreditam que ele só estará de pé novamente durante o reino milenar de Cristo na Terra.

Consciência Cristã



Escavando

 
 
"Dois irmãos decidiram cavar um buraco bem profundo atrás de sua casa. Enquanto estavam trabalhando, dois outros meninos pararam por perto para observar: -O que vocês estão fazendo? - perguntou um dos visitantes. -Nós estamos cavando um buraco para sair do outro lado da terra! - um dos irmãos respondeu entusiasmado. Os outros meninos começaram a rir, dizendo aos irmãos que cavar um buraco que atravessasse toda a terra era impossível. Após um longo silêncio, um dos escavadores pegou um frasco completamente cheio de pequenos insetos e pedras valiosas. Ele removeu a tampa e mostrou o maravilhoso conteúdo aos visitantes gozadores. Então ele disse confiante, -Mesmo que nós não cavemos por completo a terra, olha o que nós encontramos ao longo do caminho! Seu objetivo era por demais ambicioso, mas fez com que escavassem. E é para isso que servem os objetivos: fazer com que nos movamos em direção de nossas escolhas, ou seja começarmos a escavar!"
Assim é nossa vida, temos sonhos, objetivos, as vezes ambiciosos por demais. E no decorrer do percurso percebemos que nem todo objetivo será alcançado inteiramente. Nem todo trabalho terminará com sucesso. Nem todo relacionamento resistirá. Nem todo amor durará. Nem todo esforço será completo. Nem todo sonho será realizado.
Mas o importante, é que mesmo quando você não atingir o seu alvo, você poderá dizer: -Sim, não alcancei, mas vejam o que eu encontrei ao longo do caminho! Vejam as coisas maravilhosas que surgiram em minha vida porque eu tentei fazer algo! 
Pois é no trabalho de escavar que a vida é vivida. E, afinal, é a alegria da viagem que realmente importa!

Fazei tudo para a Glória de Deus



Em I Coríntios 10: 31 lemos: Portanto quer comais, quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus.

Quando eu leio esse texto, eu percebo que não se trata da questão de você não pecar durante o dia. Para o cristão, a questão não é: “Hoje eu não pequei! Olha, hoje eu não fiz nada de errado.”
A questão não é você não pecar. A questão é: Eu glorifiquei a Deus hoje como eu deveria com a minha vida?
Você pode não cometer nenhum dos pecados capitais. Você pode não infringir nenhum dos 10 mandamentos. Você pode ser uma boa pessoa e estar completamente distante de Deus, na sua religiosidade, no seu falso conhecimento de quem é Deus.
Que essa frase fique marcada pra você: Não se trata de não pecar, mas Eu glorifiquei a Deus com minha vida como eu deveria nesse dia de hoje?
Há uma dicotomia muito grande dentro da igreja entre sagrado e secular. Gostamos de separar muito isso. Gostamos de falar: isso aqui é de Deus, isso aqui é do mundo.
Não existe para o cristão o que é sagrado e o que é secular. Para o cristão é uma coisa só. Dado que você entregou sua vida a Jesus, tudo é dEle.
Então, quando você exercer sua profissão, você deve exercê-la de maneira que o nome de Jesus seja glorificado com isso.
Se você está curtindo um momento de lazer, está curtindo um momento de férias, que Deus esteja junto.
Porque se o seu culto a Deus se resume a ir à igreja, você não conhece a Deus. Você não tem um relacionamento com Ele. Porque não existe relacionamento com Deus que não seja diário, que não seja uma constância.
Tenho visto muitos homens de Deus falarem isso e eu concordo: Não é uma simples oração que te faz um cristão. Não é porque um dia você falou: Ah, eu faço uma oração e aceito Jesus. E isso te faz um crente. Isso é mentira. O cristão vive por fé. O justo viverá pela fé.
E fé é precedida e acompanhada por arrependimento. Uma vida de arrependimento, dobrando seus joelhos dia após dia, confessando seus pecados a Deus. Crescendo em santidade, crescendo em boas obras. Crescendo no conhecimento de Deus.
Cristãos que vivem uma vida inteira indo à igreja, tem 10, 20 anos de crente, 30 anos de crente e são, possuem o mesmo temperamento de 20 anos atrás. Como é possível?
Você ter o mesmo temperamento, você não crescer em nada. Em domínio próprio, em mansidão, em amor. Como andar com Cristo e não ser cada dia mais parecido com Ele? Você acha que é ser cristão isso?
Você acha que Jesus veio pra instituir uma igreja para você ir no domingo? Você acha que Jesus morreu naquela cruz, para que domingo você pudesse estar lá e no resto da semana Ele estivesse fora dos seus planos?
Jesus requer tudo de nós. E se você é cristão vai dizer: Amém, que Ele tome tudo. Tudo é dEle.