Assembleia de Deus Ministério Belém
RUA FLAMINGO 239 PORTAL LARANJEIRAS CAIEIRAS – SP

CULTOS:

Terças e Quintas feiras ás 19:30

Domingo 18:00

Pastor Responsável : Adalberto Alves Pereira


Páginas

Batismo nas Águas - AD Belenzinho (SP) recebe 2.060 novos Membros




Este foi o segundo batismo do ano promovido pelo Ministério do Belém na Capital

Para a glória do nosso Deus, cumprindo o ide de Jesus, de ir, evangelizar, discipular e batizar, neste último domingo do mês de março, dia 30, em nosso Templo-Sede da Assembleia de Deus em São Paulo - Ministério do Belém, aconteceu o nosso 2º batismo em águas do ano de 2014.

Uma verdadeira festa espiritual, onde declarando publicamente sua fé em Cristo Jesus foram batizados 2.060 novos crentes, sendo deste número, 1.040 homens e 1.020 mulheres. A manhã de batismo ficou ainda mais especial, quando ao concluir sua mensagem, nosso Pastor José Wellington Bezerra da Costa fez o convite e novas vidas receberam a Jesus como Único e Suficiente Salvador.

O pastor Presidente concluiu a cerimônia afirmando "Este é o maior objetivo da Igreja do Senhor na terra, salvar os perdidos do mundo de tristeza e pecado". O próximo batismo deverá acontecer no dia 25 de Maio.

A História da Escola Bíblica Dominical


O termo " Escola Dominical " foi primeiramente usado pelo jornalista evangélico Robert Raikes, na Inglaterra, a partir de 1780, quando começou a oferecer instrução rudimentar para crianças pobres em seu único dia livre da semana: domingo, pela manhã e à tarde, pois a maioria mesmo tendo pouca idade já trabalhava durante a semana. A Escola Dominical nasceu para servir como o ensino público gratuito, orientado pelos princípios da educação-cristã, vindo posteriormente o governo britânico e de outros países a oferecer o sistema de educação pública e a se responsabilizar oficialmente por ele. O movimento iniciado por Raikes é considerado o precursor desse sistema.
Robert Raikes
Robert Raikes
Portanto, a Escola Dominical do nosso tempo náo é o mesmo do britânico inicial, mas o tipo de escola que surgiu na América do Norte muito tempo depois oferecendo um conteúdo curricular bíblico não mais objetivando prioritariamente a aprendizagem da leitura e da escrita de seus alunos e sim o conhecimento bíblico, a edificação espiritual, o discipulado e a integração e a evangelização.
Por isso, a Escola Dominical é o momento especial da semana para que todos que pertencem a uma igreja local (crianças, adolescentes, jovens, adultos, incluindo os novos convertidos), primeiramente, se reúnam para estudar a Palavra de Deus de forma pedagógica e metódica, e também promovam a comunhão, o discipulado e a integração de novos crentes e a evangelização, cooperando para o cumprimento da Grande Comissão de Jesus registrada em Mateus 28.18-20.
HISTÓRIA DA ESCOLA DOMINICAL NO BRASIL
Os missionários escoceses Robert e Sara Kalley são considerados os fundadores da Escola Dominical no Brasil. Em 19 de agosto de 1855, na cidade imperial de Petrópolis, no Rio de Janeiro, eles dirigiram a primeira Escola Dominical em terras brasileiras. Sua audiência não era grande; apenas cinco crianças assistiram àquela aula. Mas foi suficiente para que seu trabalho florecesse e alcançasse os lugares mais retirados de nosso país. Essa mesma Escola Dominical deu origem à Igreja Congregacional no Brasil.
Houve, sim, reuniões de Escola Dominical antes de 1855,no Rio de Janeiro, porém, em caráter interno e no idioma inglês, entre os membros da comunidade americana. Hoje, no local onde funcionou a primeira Escola Dominical do Brasil, acha-se instalado um colégio. Mas ainda é possível ver o memorial que registra este tão singular momento do ensino da Palavra de Deus em nossa terra.
HISTÓRIA DA ESCOLA DOMINICAL NO MUNDO
As origens da Escola Dominical remontam aos tempos bíblicos quando o Senhor ordenou ao seu povo Israel que ensinasse a Lei de geração a geração. Dessa forma a história do ensino bíblico descortina-se a partir dos dias de Moisés, passando pelos tempos dos reis, dos sacerdotes e dos profetas, de Esdras, do ministério terreno do Senhor Jesus e da Primitiva Igreja. Não fossem esses inícios tão longínquos, não teríamos hoje a Escola Dominical. Porém, antes de sumariarmos a história da Escola Dominical em sua fase moderna, faz-se mister evocar os grandes vultos do Cristianismo que muito contribuíram para o ensino e divulgação da Palavra de Deus.
Como esquecer os chamados pais da Igreja e lhes seguiram o exemplo? Lembremo-nos de Orígenes, Clemente de Alexandria, Justino o Mártir, Gregório Nazianzeno, Agostinho e outros doutores igualmente ilustres. Todos eles magnos discipuladores. E o que dizer do Dr. Lutero? O grande reformador do século XVI, apesar de seus grandes e inadiáveis compromissos, Ainda encontrava tempo para ensinar as crianças. Haja vista o catecismo que lhes escreveu. Foram esses piedosos de Cristo abrindo caminho até que a Escola Dominical adquirisse os atuais contornos.
A Escola Dominical do nosso tempo nasceu de visão de um homem que, compadecido com as crianças de sua cidade, quis dar-lhes um novo e promissor horizonte. Como ficar insensível ante a situação daqueles meninos e meninas que, sem rumo, perambulavam pelas ruas de Gloucester? Nesta Cidade, localizada no Sul da Inglaterra, a delinqüência infantil era um problema que parecia insolúvel. Aqueles menores roubavam, viciavam-se e eram viciados; achavam-se sempre envolvidos nos piores delitos. É nesse momento tão difícil que o jornalista episcopal Robert Raikes entra em ação. Tinha ele 44 anos quando saiu pelas ruas a convidar os pequenos transgressores a que se reunissem todos os domingos para aprender a Palavra de Deus. Juntamente com o ensino religioso, ministrava-lhes Raikes várias matérias seculares: matemática, história e a língua materna - o inglês.
Não demorou muito, e a escola de Raikes já era bem popular. Entretanto, a oposição não tardou a chegar. Muitos eram os que o acusavam de estar quebrantando domingo. Onde já se viu comprometer o dia do Senhor com esses moleques? Será que o Sr. Raikes não sabe que o domingo existe para ser consagrado a Deus? Robert Raikes sabia-o muito bem. Ele também sabia que Deus é adorado através de nosso trabalho amoroso incondicional. Embora haja começado a trabalhar em 1780, foi somente em 1783, após três anos de oração, observações e experimentos, que Robert Raikes resolveu divulgar os resultados de sua obra pioneira. No dia três de novembro de 1783, Raikes publica, em seu jornal, o que Deus operara e continuava a operar na vida daqueles meninos Gloucester. Eis porque a data foi escolhida como o dia da fundação da Escola Dominical.
Mui apropriadamente, escreve o pastor Antonio Gilberto: "Mal sabia Raikes que estava lançando os fundamentos de uma obra espiritual que atravessaria os séculos e abarcaria o globo, chegando até nós, a ponto de ter hoje dezenas de milhões de alunos e professores, sendo a maior e mais poderosa agência de ensino da Palavra de Deus de que a Igreja dispõe".
Tornou-se a Escola Dominical tão importante, que já não podemos conceber uma igreja sem ela. Haja vista que, no dia universalmente consagrado à adoração cristã, nossa primeira atividade é justamente ir a esse prestimoso educandário da Palavra de Deus. É aqui onde aprendemos os rudimentos da fé e o valor de uma vida inteiramente consagrada ao serviço do Mestre.
A. S. London afirmou, certa vez, mui acertadamente: "Extinga a Escola Bíblica Dominical, e dentro de 15 anos a sua igreja terá apenas a metade dos seus membros". Quem haverá de negar a gravidade de London? As igrejas que ousaram prescindir da Escola Dominical jazem exangues e prestes a morrer.

CRONOLOGIA DA ESCOLA DOMINICAL
No Mundo, no Brasil e nas Assembléias de Deus
 
ANOACONTECIMENTO
173614 de Setembro - Nasce Robert Raikes, na Inglaterra.
1780Robert Rikes, jornalista evangélico (episcopal), com 44 anos, realiza em Gloucester, Inglaterra, as primeiras aulas aos domingos pela manhã para crianças sobre leitura, escrita, aritmética, instrução moral e cívica e conhecimentos religiosos, dando início à Escola Dominical, não exatamente no modelo que temos hoje, mas como escola de instrução popular gratuita, o que veio a ser a precursora do moderno sistema de ensino público. As primeiras professoras foram assalariadas por Raikes.
178303 de Novembro - Dia Natalício da Escola Dominical, pois Raikes, após três anos de experiência com 7 Escolas Dominicais em casas particulares e com 30 alunos em cada uma delas, alcança êxito em seu trabalho com a transformação na vida de duas crianças. A Escola Dominical passou das casas particulares para os templos, os quais passaram a encher-se de crianças.
1784Quatro anos após a fundação, a Escola Dominical já contava com 250 mil alunos matriculados.
1785Raikes Organiza a primeira União de Escolas Dominicais, em Gloucester, com ajuda de William Fox. Surgem as primeiras Bíblias, Testamentos e Livros para serem usados especialmente nas Escolas Dominicais. Raikes publica o Sunday School Companion, que era um simples livro de leitura de versículos bíblicos.
É iniciado o movimento de Escolas Dominicais nos Estados Unidos da América, na Casa de William Elliott, inspirado nos exemplos britânicos.
1790É fundada a primeira União de Escolas Dominicais dos EUA, em Philadelphia, para prover salas de aulas e professores para as escolas. Em Charleston, EUA, a Conferência Metodista reconhece oficialmente as suas Escolas Dominicais.
1797Somente na Inglaterra chega a 1.000 o número de Escolas Dominicais.
1800Surgem fortes ataques contra a Escola Dominical. Raikes , acusado de "profanador do Dia do Senhor", pelo fato de fazer funcionar a Escola aos domingos... Tal acusação partiu dos religiosos da época. No Parlamento chegou a ser apresentado um decreto para proibir Escolas Dominicais em toda a Inglaterra. Tal decreto jamais foi aprovado.
1810O movimento já contava com mais de três mil Escolas Dominicais e com aproximadamente 275 mil alunos matriculados.
1811Começa a separação de classes para que adultos analfabetos, assim como as crianças, também pudessem aprender a ler a Bíblia. O movimento chega a 400 mil alunos matriculados só na Inglaterra.
05 de Abril - Morre Robert Raikes, aos 76 anos de idade, tendo a Escola Dominical se espalhado por toda a Inglaterra e em outras partes do mundo.
1820Começam os primeiros passos para congregar as Uniões locais de Escolas Dominicais numa central - União Americana de Escolas Dominicais.
182425 de Maio - A União Americana de Escolas Dominicais, em Filadelfia, EUA, torna-se a representante nacional de 723 Escolas afiliadas e 50 mil alunos.
1831As Escolas Dominicais chegam a 1.250.000 alunos matriculados, cerca de 25% da população da Inglaterra na época.
183203 de Outubro - Realizada a Primeira Convenção Nacional da União Americana de Escolas Dominicais, em New York.
1836O Rev. Justin Spauding, da Igreja Metodista, organiza no Rio de Janeiro, entre estrangeiros, uma congregação com cerca de 40 pessoas e em junho abre uma Escola Dominical com 30 alunos, dos quais alguns eram brasileiros, ensinados na sua própria língua.
185519 de Agosto - Robert Kalley e sua esposa Da. Sarah Poulton, casal de missionários escoceses, realizam a primeira aula de Escola Dominical para cinco crianças, em sua residência na cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro, o que resultaria na fundação da Igreja Evangélica Fluminense, embrião da Igreja Congregacional.
1911Dois meses após a fundação das Assembléias de Deus, é realizada a primeira aula de Escola Dominical, na casa do irmão José Batista Carvalho, na Av. São Jerônimo, em Belém, PA.
1920Começa a circular como suplemento do Jornal Boa Somente em Belém, PA, os Estudos Dominicaes, o embrião da atual revista Lições Bíblicas, para Jovens e Adultos.
1930Lançada a revista Lições Bíblicas para adultos, inicialmente comentada pelos missionários suecos Samuel Nyström e Nils Kastberg.
193225 a 31 de Julho - Realizada a XI Convenção Mundial de Escolas Dominicais, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro
1943Lançada a primeira revista para crianças na Escola Dominical das Assembléias de Deus, escrita pelas professoras Nair Soares e Cacilda de Brito.
195519 de Agosto - Completados 100 anos de fundação das Escolas Dominicais no Brasil.
1980Comemorados os 200 anos de fundação da Escola Dominical no mundo pela Associação lnternacional de Educação Cristã (ICEA). O número de alunos em todo o mundo, é estimado em 120 milhões, com cerca de 2 milhões de Escolas Dominicais (não nos moldes do modelo britânico de Raikes) e 8 milhões de professores.
1981Lançado pela CPAD o Primeiro Plano de Revistas da Escola Dominical para Assembléias de Deus, formulado pelo pastor Antonio Gilberto, que estabelecia, pela primeira vez, revistas para cada faixa etária da Escola Dominical.
19965 a 7 de Junho - Realizado o I Encontro Nacional de Superioridades de Escola Dominical, no Hotel Glória, Rio de Janeiro, RJ.
199810 a 13 de Junho - Realizado o I Congresso Nacional de Escolas Dominicais das Assembléias de Deus, no Riocentro, Rio de Janeiro, RJ.
199912 a 15 de Novembro - Realizada a Conferência Nacional de Escolas Dominicais, no Centro de Convenções da Universidade Federal de Pernambuco, Recife.
20006 a 9 de Setembro - Realizado o II Congresso Nacional de Escolas Dominicais nas Assembléias de Deus, no Riocentro, Rio de Janeiro.

VOCÊ NÃO PRECISA DE APÓSTOLO HOJE, DIZ AUGUSTUS NICODEMUS



Ele fez um estudo sobre as igrejas apostólicas e transformou essa pesquisa em um livro

A quantidade de igrejas apostólicas no Brasil é cada vez maior, assim como a quantidade de pastores que se autodenominam apóstolos. O reverendo Augustus Nicodemus participou de um evento na Galeria Cultura Bíblica recentemente e falou exatamente sobre isso, fazendo uma crítica a este movimento.
O reverendo presbiteriano usou dados de uma pesquisa que ele realizou por seis meses no Seminário Teológico de Westminster, na Filadélfia (EUA) juntando dados históricos e teológicos que vão se transformar em um livro a ser publicado ainda este ano.
Diversos questionamentos foram levantados por ele no início deste estudo: o que é um apóstolo de acordo com o novo testamento, quem usou o termo pela primeira vez, como explicar que o termo apóstolo é usado para diferentes pessoas, em que sentido é usado, apóstolo é um dom ou ele designa uma função ou ofício.
Durante o evento ele fez um apanhado histórico sobre as igrejas que usaram o termo até chegar aos dias atuais, citando as igrejas neopentecostais que utilizam com mais frequência o termo “apóstolo”. “Todos os apóstolos têm a mesma visão de que a igreja vai dominar o mundo através da restauração do governo apostólico”, disse o reverendo lembrando que essas ideias não são novas.
O assunto é extenso e a palestra durou mais de uma hora. Entre os apóstolos brasileiros, Augustus Nicodemus cita Renê Terra Nova, Valnice Milhomens, Valdemiro Santiago, Arles Marques, Mike Shea, Estevam Hernandes, Neuza Itioka e outros.
Ele também cita grandes erros teológicos desses pastores, incluindo a teologia da prosperidade, falsas profecias, manipulação da Bíblia, falta de conhecimento teológico e a falta de uma autoridade maior para quem eles tenham que responder.
No final da palestra ele afirma que esses apóstolos não podem ser chamados assim por uma série de questões, a primeira é que não foram chamados diretamente por Cristo. “Tinha que ser testemunha da ressurreição de Cristo, tinha que fazer sinais e prodígios inquestionáveis e não esses sinais e prodígios que você vê por ai”, afirmou o reverendo fazendo outras considerações.
Por fim ele afirma que apóstolo não é um dom, pois analisando as Escrituras nota-se que o termo é usado para descrever o ofício ou a função de alguém que foi enviado para realizar alguma coisa. “Você não precisa de apóstolo hoje, porque os verdadeiros já fizeram a sua obra”, encerra.

Sumiço do avião da Malaysia Airlines é uma pequena mostra do que acontecerá no arrebatamento, diz filha de Billy Graham








O desaparecimento do avião da Malaysia Airlines mobilizou equipes de busca e investigação de 25 países, causou dúvida e desespero nos familiares dos passageiros e comoveu o mundo pela enorme incógnita que o fato se tornou. Nesse contexto, Anne Graham Lotz, filha do evangelista Billy Graham, afirmou que a tragédia serve de amostra do que ocorrerá no mundo quando Jesus Cristo buscar a Igreja.
O voo MH 370 desapareceu dos radares há 14 dias com 239 passageiros a bordo, e um pastor nigeriano reivindicou a previsão de que o sumiço do avião aconteceria.
A declaração da filha de Billy Graham foi feita em seu blog, onde a pergunta “Onde estão todas as pessoas?” serve de paralelo para os questionamentos que serão feitos quando os fiéis forem arrebatados.
“As respostas não parecem estar próximas enquanto escrevo isso. Eu não posso ajudar, mas pergunto… Seria este sentimento de choque e desamparo, dúvdas e confusão, medo e dor, um vislumbre do que está por vir? Isso é um pequeno retrato do que todo o mundo irá experimentar um dia após o arrebatamento da igreja? Porque a Bíblia é clara. Está chegando um momento em que Jesus vai voltar a reunir junto a Si todos os mortos e vivos – que colocaram sua confiança n’Ele. E, naquele dia, o mundo vai estar se perguntando: Onde todas as pessoas foram? Não apenas 239 de nós, mas milhões de nós”, escreveu Anne Graham Lotz.
Como ressaltou o Christian Post em sua matéria, o arrebatamento é a doutrina de que, durante a segunda vinda de Cristo, todos os crentes serão levados a “encontrar o Senhor no ar”, marcando visivelmente o período da Grande Tribulação.
“Naquele dia, com milhões de pessoas diretamente afetadas pela ausência de seus próprios amigos e membros da família… Este é um pensamento que eu não consigo me livrar, então eu compartilho com vocês. Será que a sua vida, e a minha, têm sido uma luz para o mundo (Mateus 5:14) que aponta as pessoas para Jesus… depois do arrebatamento?”, questionou.

Produto Final - Fruto





No evangelho de Jesus escrito por Lucas no seu cap. 3 vs 7e 8 João Batista diz ao judeus que vinham a ele para serem batizados, para que produzissem frutos dignos de arrependimento e ainda os chamavam de raça de víboras. Levando em conta que os judeus viviam segundo a lei recebida de Deus através de Moisés, que frutos são este que João diz e tem que ser digno de arrependimento?
Quando lemos em Lucas cap. 6 vs 43 a 45 Jesus dizendo que se conhece a árvore pelo seu fruto e diz que é impossível colher fruto bom de árvore ruim, entendemos que os frutos são o refletir da nossa vida com Cristo é o que o Espírito Santo produz dentro de nós.
Mas ainda fica a pergunta que frutos são estes?
A resposta esta contida no cap. 6 de Lucas nos vs 27 a 38, quando Jesus começa a dizer " Amai os vossos inimigos, fazei o bem a quem vos odeiam.
Quando olhamos para estes tão preciosos conselhos, que para quem serve verdadeiramente a Cristo são mandamentos, nos colocamos a refletir será que possuo estes frutos, será que só amo a que me ama, se só amamos a que nos amam o v. 32 nos diz que méritos teremos se os pecadores também fazem isto.
O v. 37 é outo desafio constante, não julgueis para não sereis julgados, não condeneis para não sereis condenados, perdoai para que sejam perdoados, nestes nossos dias em que se apregoa tirar vantagem de tudo ser melhor que todos sera que como igreja de Cristo conseguiremos produzir este frutos?
Finalizo com o v. 38 Dai e vos sera dado, boa medida recalcada, sacudida e transbordante..., com a medida com que medir vos sera medido.

Refinando a Prata.






Assentar-se-á como fundidor e purificador de prata; e purificará os filhos de Levi, e os refinará como ouro e como prata, até que tragam ao Senhor ofertas em justiça. Malaquias cap. 3 v 3.
Este versículo fala sobre a natureza purificadora de Deus, que não aceitará impureza no meio do seu povo especial, zeloso e de boas obras.

A purificação da prata acontece da seguinte forma, o ourives segura a prata

sobre o fogo, até que com a alta temperatura saia todas as impurezas, o mais interessante e que a prata só estará pura só quando o ourives conseguir ver sua perfeita imagem refletida na prata.

Assim também acontece com cada um de nós quando somos provados por Deus, sentimos o calor do fogo, mas Deus não nos deixa só e não tira o olho de nós, porque só estaremos prontos quando refletirmos a perfeita imagem de Deus.

Cidade de Abreu e Lima (PE) homenageia Presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil

Além do Pastor José Wellington, pastor Roberto José presidente da Igreja na Cidade também foi homenageado


Por iniciativa do Vereador Eden Pedro, no dia 20 deste mês de fevereiro, o presidente da CGADB - Convenção Geral das ADs no Brasil, Pastor José Wellington Bezerra da Costa foi homenageado com o Título de Cidadão da Cidade de Abreu e Lima, estado do Pernambuco, onde a pujante igreja AD é presidida pelo nobre pastor Roberto José dos Santos, 4º Secretário da CGADB, que na mesma data, recebeu moção de aplausos por completar 10 anos à frente da Igreja e Convenção (IEADALPE e COMADALPE), com Sede na Cidade.


Além de membros e obreiros da cidade, a cerimônia que homenageou o líder do órgão máximo da maior igreja do País, contou com a presença dos pastores; José Antonio, 4º vice-presidente da CGADB e Presidente da AD e Convenção de Alagoas - COMADAL; Martin Alves, presidente da AD e Convenção do Rio Grande do Norte - CEMADERN; Jailton Pereira, presidente da Convenção em Goiás - CADESGO; José Messias, presidente da Convenção de Goiás - CONFRAMADEGO; Maurinho Pinheiro, presidente da Convenção do Ceará - CIMADEC; ainda prestigiaram a solenidade os pastores; Antonio José, presidente da AD em Fortaleza (CE); Perci Fontoura, 1º Secretário da CGADB e Presidente da AD Umuarama (PR); Marcio Rogério, Secretario adjunto da CGADB e 1º Secretário da Convenção do Rio de Janeiro - CONFRADERJ; Wellington Rocha, presidente da AD em Rio Verde; Pb. Edgard Pereira, gerente da CPAD no estado de Pernambuco e o Presidente a Câmara de Natal (RN) e membro de nossa Igreja, vereador Albert Dickson.

O Capitão e o Marinheiro

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna

(João 3:16).
O CAPITÃO E O MARINHEIRO
O capitão Brown estava morrendo em seu barco em alto-mar. Como muitos marinheiros, sempre desejara morrer no mar. Mas tinha vivido sem se preocupar com Deus e agora, pela primeira vez, esse assunto o incomodava. Se pelo menos tivesse uma Bíblia? será que alguém a bordo tinha uma? Pediu que lhe conseguissem uma Bíblia. De fato, o último grumete contratado, Jo Prescott, possuía um exemplar. Ele foi levado à cabine do capitão, que lhe disse: - Leia algo pra mim na sua Bíblia, pois eu não posso ler. E talvez nunca chegue a um bom porto.
O grumete abriu no capítulo 3 do evangelho de João. Quando chegou ao versículo 16, parou e disse ao capitão: - Posso ler este versículo como minha mãe me ensinou?
- Leia como quiser; falou o moribundo.
- Porque Deus amou Jo Prescott de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que se Jo Prescott nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.
O capitão murmurou: - Rapaz, leia mais uma vez e coloque o meu nome, por favor.
- Porque Deus amou o capitão Brown de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que se o capitão Brown nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.
- Encontrei, encontrei meu porto seguro! Posso fazer esta última viagem em paz, pois eu agora creio! - exclamou o capitão.
Pare um pouco agora e leia o João 3:16 novamente, mas coloque o seu nome nele. Permita que Deus fale com você!